Você pode ter agora informações corretas e atualizadas sobre
Diabetes tipo 1

O que é, sintomas, diagnóstico, causas e onde encontrar auxílio com profissionais especializados no Rio de Janeiro.
Quer saber mais? Clique aqui

O que é
Diabetes tipo 1?

Uma doença crônica caracterizada pela incapacidade do corpo de produzir insulina, isso ocorre quando o  sistema imunológico começa a atacar as células beta do pâncreas, que são as responsáveis em sintetizar e secretar o hormônio insulina.

O diabetes mellitus tipo 1 é uma doença autoimune, uma vez que ocorre por uma falha no sistema imunológico (que passa a atacar de forma equivocada o próprio organismo). Dessa forma, sem a insulina, as células não conseguem absorver a glicose, levando ao aumento dos níveis de glicose no sangue, necessitando que seja aplicado insulina.

Quais os principais sintomas do diabetes mellitus tipo 1?

Urinar
bastante
Sede constante
Sentir fome diversas vezes ao dia
Perda de peso inexplicável

Qual a diferença entre diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2?

Diabetes mellitus tipo 1

A principal diferença entre o diabetes tipo 1 e tipo 2 é que o diabetes tipo 1, por ser uma doença autoimune, faz com que o pâncreas pare de produzir insulina definitivamente.
Doença autoimune

Diabetes mellitus tipo 2

Pâncreas ainda produz insulina; porém, além de ser insuficiente, ela não pode ser plenamente metabolizada pelo organismo em decorrência da resistência à insulina que ocorre nos órgãos e músculos.
Doença adquirida
Ao contrário das pessoas com diabetes mellitus tipo 2, aqueles com diabetes mellitus tipo 1 geralmente não são obesos e geralmente apresentam inicialmente cetoacidose diabética.

Qual a causa do diabetes mellitus tipo 1?

O DM1 resulta da destruição autoimune das células beta do pâncreas e envolve predisposição genética e componente ambiental.

Fatores extragenéticos também podem contribuir. Os gatilhos potenciais para a destruição imunologicamente mediada das células beta incluem vírus (por exemplo, enterovírus, caxumba, rubéola e coxsackievírus B4), produtos químicos tóxicos e deficiência de vitamina D.

Quais idades têm maior risco para ter diabetes mellitus tipo 1?

Pode ocorrer em qualquer idade. Embora surja com frequência em crianças e jovens, também pode se desenvolver em adultos.

Quais são as complicações que pessoas com diabetes mellitus tipo 1 podem ter?

A morbimortalidade associada ao diabetes está relacionada às complicações de curto e longo prazo. Essas complicações ocorrem quando não há manejo adequado dos níveis de glicose do paciente. Mas não são uma sentença, podendo não haver manifestação de nenhuma complicação caso os níveis de glicose estejam equilibrados.

Essas complicações resultam em aumento do risco de doença isquêmica do coração, doença vascular cerebral, doença vascular periférica com gangrena de membros inferiores, doença renal crônica, redução da acuidade visual e cegueira e neuropatia autonômica e periférica.

O diabetes é a principal causa de cegueira em adultos com idade entre 20-74 anos, bem como a principal causa de amputação não traumática de membros inferiores e Doença renal em estágio final.

Hipoglicemia por erros de gerenciamento
Maior risco de infecções
Complicações microvasculares
Complicações neuropáticas
Doença macrovascular
Precisa de melhor controle glicemico? clique aqui

O que é uma bomba de insulina?

A bomba de insulina é um sistema de infusão contínua de Insulina (SICI). É a terapia para o Diabetes Tipo 1 que mais se assemelha ao funcionamento do pâncreas humano, já que é um equipamento que administra insulina no paciente de forma contínua e em doses muito precisas, proporcionando maior controle glicêmico.

As bombas modernas pesam menos de 120 gramas e são menores que um aparelho celular, com elas o controle da glicemia é feito com muito mais precisão e segurança, diminuindo a ocorrência de hipoglicemias e hiperglicemias.  

As bombas de insulina permitem que os usuários programem diferentes taxas basais para permitir variações no estilo de vida e doses em bolus para permitir variações na dieta. A administração de insulina por meio de uma bomba é mais consistente e precisa do que por meio de seringa ou caneta injetora.

Bombas modernas pesam menos de 120 gramas
Menores que um
aparelho celular

Accu-Chek Spirit Combo

Moderna

A terapia que mais se aproxima a um pâncreas saudável, pois libera insulina continuamente ao longo do dia e de acordo com as suas necessidades.

Segura e precisa

Reduz o risco de hipoglicemias graves, ajuda no melhor controle glicêmico e na melhor qualidade de vida.

Prática e confortável

Requer apenas uma picada a cada 2-3 dias para inserir a cânula flexível que enviará insulina ao seu corpo continuamente.

Ideal para crianças

A terapia ideal para crianças que necessitam de pequenas doses de insulina e que sofrem com hipoglicemia à noite ou durante a madrugada.

Confira quem compartilha da
vivência com Accu-Chek Combo!

Depoimentos de pacientes que mudaram suas vidas quando passaram a utilizar a bomba de insulina Accu-Chek.

SICI é uma forma mais tranquila de conviver com o diabetes

Você controla sua glicemia com muito mais precisão e segurança, diminuindo a ocorrência de hipoglicemias e hiperglicemias.

O SICI também reduz o número de “picadas” quando comparado à terapia MDI (Múltiplas Doses de Insulina).

Média de picadas no ano

*O número de picadas depende da adaptação de cada paciente em relação à troca da cânula.

Quem é o médico que faz o diagnóstico e trata diabetes?

O profissional que atua no diagnóstico da DM1 é o endocrinologista, porém, é importante ressaltar que a DM1 é uma doença que necessita de acompanhamento multidisciplinar pois envolve aspectos físicos e emocionais. O ideal é que os pacientes com DM1 sejam assessorados por uma boa equipe multidisciplinar composta por médicos (endocrinologistas, endocrinologista pediátrico, cardiologistas, clínico geral, gastroenterologista, Dermatologia e outras especialidades ), enfermeiras educadoras em diabetes, educadores físicos, nutricionistas e psicólogos.

Onde encontrar ajuda profissional no Rio de Janeiro?

O Centro de Diabetes Rio de Janeiro é uma clínica referência no Rio de Janeiro, que tem como público-alvo pessoas com Diabetes, promovendo a melhoria da saúde e qualidade de vida desses pacientes, fornecendo-lhes tratamento humanizado e multidisciplinar com foco na educação em diabetes. Além de encontrar um endocrinologista no Rio de Janeiro, você vai encontrar outros especialistas.

Programa Viver bem com Diabetes

O Programa Vivendo Bem com Diabetes foi especialmente desenhado para otimizar o seu controle metabólico, a sua tomada de decisão e sua a satisfação do tratamento, com educação e gerenciamento do Diabetes Mellitus.

Com a nossa equipe, você terá acesso a tecnologias e ferramentas na gestão do cuidado com a sua saúde.

Modelo para paciente potencial para uso de SICI: Duração – 4 meses

1º Encontro

Nutricionista

Revisão Nutricional

2º Encontro

Educadora

Você terá um encontro com educadora
para instalar Accu-Chek Combo

3º Encontro

Educadora

Esse encontro com Educadora é para você aprender a trocar o cateter
Após 3 dias da instalação do Accu-Chek Combo

4º Encontro

Médico

Seu médico fará uma revisão clínica
7 dias após o terceiro encontro

5º Encontro

Médico e Educadora

Médico (revisão clínica)
Educadora (revisão de manuseio)
Seu médico fará uma revisão clínica do seu controle glicêmico com Accu-Chek Combo.
20 dias após o 4º encontro

6º e 7º Encontro

Educadora

Nesses 2 encontros a educadora acompanhará a sua experiência com o Accu-Chek Combo


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0